vossblues.no Parajumpers jakke Norge canada goose jacket sale canada goose jakker dame doudoune canada goose homme manteau canada goose pas cher canada goose jacket sale billiga canada goose jackor

:: Sabaranet.com.br :: O Portal de Sabará :: LEI SECA: SEIS MOTORISTAS PRESOS NO MUNICÍPIO :: REDAÇÃO ::
 

Veja todos os serviços de TELE-ENTREGA de Sabará
VEÍCULOS - CARROS
VEÍCULOS ANUNCIOS
CONSULTE

IMÓVEIS - LOTES
TERRENO - CENTRO HISTÓRICO
CONSULTE

IMÓVEIS - LOTES
PROCURO NO SCHARLÉ
CONSULTE

OUTROS
SUA MAIS NOVA OPÇÃO EM SABARÁ!
CONSULTE

INFO - OUTROS
DIGITAÇÃO EM GERAL PARTICULAR E EMPRESA
CONSULTE

Inclua seu anúncio GRATUITAMENTE*
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

E-Mail:
Assinar
Remover


 
COMUNIDADE

LEI SECA: SEIS MOTORISTAS PRESOS NO MUNICÍPIO
 

 A lei Seca ainda causa polêmica entre os brasileiros. Muitos motoristas que são parados em blitzes estão se negando a fazer o teste do bafômetro ou o exame médico no IML. O delegado da 30ª regional de Sabará, Dr. Aparecido Conceição Martins, disse que já houve seis casos de prisão de motoristas que dirigiam alcoolizados no município. E segundo o delegado, a maioria dessas prisões foi trazida pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) já com o teste do bafômetro, aparelho que determina a concentração de bebida alcoólica em uma pessoa. A PRF situada no km 16 na BR 381, próximo a Sabará, é a única autoridade que tem o aparelho de medição de álcool etílico. Os motoristas autuados nesse trecho da rodovia são levados à 30ª regional de Sabará para ser lavrado o flagrante.

Dr. Aparecido diz que o trabalho da polícia pode ser dificultado caso o motorista acusado se recuse a fazer o teste. “Quando um motorista se recusa a soprar o bafômetro a sua prisão deixa de configurar flagrante”, diz. Nesse caso, porém, o condutor sofrerá a mesma punição destinada a pessoas comprovadamente alcoolizadas – ou seja, multa de 957 reais e suspensão do direito de dirigir por um ano. Por ora, caso o motorista use a artimanha de se negar a fazer o exame, entrando posteriormente com um recurso na Justiça, a lei prevê que o testemunho do agente de trânsito ou policial rodoviário tem força de prova diante do juiz.
O delegado afirma também, que a lei é benéfica e que tinha que existir há mais tempo. “A lei é boa, mas, sem dúvida, ela tem que ser aperfeiçoada, o texto tem que sofrer modificações. Para que a fiscalização tenha meios de fazer provas contra aquele que foi pego dirigindo alcoolizado. Porque hoje o princípio constitucional que impera é que ninguém é obrigado a fazer prova contra si. Portanto, as pessoas podem se recusar a fazer os exames”, comenta o delegado.

Segundo Dr. Aparecido, geralmente a PRF leva o motorista à delegacia já com o teste do bafômetro em mãos. O motorista é autuado em flagrante, mas depois de pagar a fiança de R$ 957,00 o motorista é colocado em liberdade. Quanto a parte administrativa o processo prossegue e ele perderá o direito de dirigir por um ano. 

Novos equipamentos

O processo de licitação para a aquisição de 167 bafômetros para todo o estado já está em andamento, segundo informação da Polícia Militar de Minas Gerais. O assessor de comunicação da corporação, em Belo Horizonte, capitão Gedir Rocha, afirmou que, dentro de 45 a 60 dias, as cidades mineiras que possuem batalhão da Polícia Militar irão receber os equipamentos. A Polícia Rodoviária Federal que atua próximo a Sabará, na BR-381, possui um etilômetro para a fiscalização da Lei Seca, segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Matheus Horta. Ele afirma que os equipamentos ficam à disposição dos patrulheiros durante as 24 horas do dia, independente de operação específica e que desde o início da lei, 185 motoristas já foram presos em estradas de Minas Gerais por dirigir alcoolizados. Ele também informou que já está em licitação a aquisição de novos bafômetros, porque o Governo Federal deseja que cada viatura tenha um aparelho de mediação de teor alcoólico. Isso está previsto para o início do ano que vem.

Ministro diz que Lei Seca “chegou para ficar”

Para aqueles que acham que haverá alguma alteração na polêmica Lei Seca, o ministro da Justiça, Tarso Genro garante que a nova lei veio para ficar. Ele afirmou na sexta-feira, dia 8, durante solenidade de apoio à nova lei no Sindicato dos Médicos do Rio de Janeiro, que dados preliminares do ministério apontam que o número de acidentes e de mortes causadas pelo trânsito caiu entre 30% e 40%, desde o início da Lei Seca, em meados de junho. O ministro afirmou que a “medida chegou para ficar” e que a sociedade está vivendo um momento “extremamente virtuoso na criação de uma nova sociedade. A preocupação com o outro, a solidariedade, a compreensão de que a vida em sociedade exige regras democráticas e respeitosas pela vida humana. Esta lei veio em um momento oportuno”, disse.
De acordo com Tarso, a fiscalização nas estradas federais do país vai continuar a ser feita e até intensificada pela Polícia Rodoviária Federal. “Precisamos de uma estreita colaboração das polícias rodoviárias estaduais e das guardas municipais nas cidades onde elas têm função fiscalizadora”, disse. Para o ministro, os dados estatísticos mostram a realidade do benefício da lei.

Outras nações adotam a "lei seca"?

Em uma lista de 92 países pesquisados pelo International Center For Alcohol Policies (Icap), instituição sediada em Washington (EUA), o Brasil agora se enquadra entre os 20 que possuem a legislação mais rígida sobre o tema. A lei aqui é mais restritiva do que as de outras 63 nações pesquisadas, mas ainda é superada pelas regras de outros 13 países. Cinco nações têm o mesmo nível de rigor do Brasil: Estônia, Polônia, Noruega, Mongólia e Suécia. Na América do Sul, o Brasil ficou em segundo lugar, atrás apenas da Colômbia, onde o limite é zero.

 
Edição: 684
Postado em: 8/15/2008 4:45:19 PM
Anuncios Sabaranet | Fone: 31 8590-4080
     

 

     


Veja mais notícias

 

Estrada Real

 

 

.

Visitantes on-line: 812

.
.
aa
aa

.